Entenda o que é ESG e porque esse é o assunto do momento!

Entre as diversas ações e práticas que são esperadas no período pós-pandemia, a adoção de um consumo cada vez mais consciente e a utilização de práticas sustentáveis precisam estar presentes. Diante desse cenário, vamos abordar neste artigo o assunto ESG e a sua relação com as empresas.

Esse termo não é relativamente novo, mas vem ganhando destaque nos últimos tempos. Isso porque o mercado tem se preocupado com a forma com que as organizações se comportam em suas questões administrativas, sociais e ambientais.

As empresas que adotam essas práticas em suas corporações passam a ser vistas com outros olhos pela sociedade e pelo mercado investidor. O comportamento dos investidores tem mudado ao longo do tempo e, principalmente após a pandemia, eles optaram por novos critérios.

Ou seja, eles passaram a investir em negócios que seguem as melhores práticas do ESG.

Atualmente, já existem diversos índices e fundos específicos incorporados ao conceito. Sendo assim, muitos acreditam que esse possa ser o futuro da indústria, principalmente para a aquisição de um novo modelo sustentável de negócio.

O que é ESG?

O ESG vem da sigla em inglês (Environmental, Social and Governance), o que corresponde a práticas ligadas ao meio ambiente, sociedade e governança. Os três juntos são conhecidos como os pilares desse conceito.

ESG

O seu surgimento ocorreu em 2004 através de uma parceria entre a ONU e instituições financeiras situadas em nove países. Essa ação recebeu o nome de Who Cares Wins (Ganha quem se importa) e foi uma provocação realizada pelo secretário-geral da ONU, Kofi Annan, para essas organizações sobre como integrar os três fatores no mercado de capitais.

As instituições que adotam esse conceito precisam levar em consideração essas três áreas na hora de planejar as suas estratégias. Assim, a partir desse conceito será possível avaliar se a indústria está no caminho do desenvolvimento sustentável.

Portanto, esse é um critério muito relevante na hora de um investidor colocar o seu capital, sendo uma espécie de métrica para avaliar as boas práticas do negócio. Além disso, também é utilizado para saber o quanto a corporação busca minimizar os seus impactos no meio ambiente e ajudar a construir  um mundo mais sustentável e socialmente responsável.

Abaixo, entenda um pouco mais sobre as três áreas que englobam o ESG.

Environmental (ambiental)

A primeira letra da sigla (E) se refere ao comportamento de uma companhia com relação ao meio ambiente. Emissão de gases estufas, uso de energia renovável, economia circular e gestão de resíduos são alguns dos tópicos importantes que exemplificam bem esse conceito.

Social

O S da sigla faz referência ao modo com que as empresas se relacionam com seus stakeholders e toda a  comunidade à sua volta. Capacitação dos colaboradores, programas de treinamento, diversidade, foco na saúde mental e projetos sociais são alguns exemplos.

Governance (Governança)

Por fim, a letra G foca na governança, ou seja, como os seus diretores e gestores administram o negócio. Transparência, gestão de riscos, normas anticorrupção, práticas de integração e diversidade nos conselhos são preceitos que devem ser respeitados e seguidos.

A relação da Pandemia com o ESG

A Pandemia de Covid-19 iniciada em 2020 transformou a maneira com que vivemos, com novas práticas e cuidados que até então não eram não faziam parte do nosso dia a dia.

Dentro das companhias algumas práticas também foram alteradas. Isso porque a sociedade pôde perceber que ela não depende apenas de iniciativas governamentais, mas também das empresas que atendam às suas necessidades, como geração de empregos e defesa dos seus interesses e valores como indivíduos.

Os grandes gestores compreenderam que a continuidade dos seus negócios depende da continuidade da espécie humana, algo que continua em risco a cada ano que passa devido às mudanças climáticas, a maneira como gerenciamos os recursos naturais e o aumento de desastres naturais.

Uma pesquisa realizada pela KPMG apontou que os consumidores estão cada vez mais conscientes e ligados em temas ambientais e de sustentabilidade, e que esperam um crescimento de ações voltadas ao assunto por parte das organizações.

Já a pesquisa 2020-2021 Survey Report – Board governance during the Covid-19 crisis, da Global Network of Directors Institutes (GNDI) apontou que as estratégias ESG daqui para frente estarão cada vez mais presentes em nossa realidade.

De acordo com os especialistas que participaram da pesquisa, a pandemia apenas reforçou a necessidade de acelerar as pautas voltadas ao meio ambiente.

O panorama do ESG no Brasil

Diferente dos países europeus, o Brasil ainda caminha em passos curtos com relação ao ESG. No entanto, a boa notícia é que à medida que o tema avança no exterior, o país acaba “correndo atrás” para acompanhar o mercado.

O tema é cada vez mais pesquisado, de acordo com o Google Trends. No entanto, vale ressaltar que a pandemia de COVID-19 foi um grande motivo para o número de buscas aumentarem.

Diante disso, é possível afirmar que o tema aos poucos se torna uma nova realidade do mercado financeiro do país, mas ainda falta muito para acompanhar o nível europeu.

Um exemplo disso é que as empresas europeias são pressionadas sobre o assunto e penalizadas quando não apresentam as práticas ESG, principalmente pelo mercado europeu. No Brasil, elas ainda estão buscando entender o impacto de suas atitudes na sociedade.

Ações da Knauf compatíveis com o ESG

Como uma empresa que reconhece a importância do meio ambiente, a Knauf possui a sustentabilidade como um de seus principais compromissos. Por isso, as nossas operações estão em conformidade com as normas da PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos).

Entre as principais ações em compatibilidade com o ESG, destacamos:

Para saber mais sobre as ações da Knauf, acesse a nossa página sobre sustentabilidade em nosso site agora mesmo, clicando aqui!

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Assuntos

Mais lidos

Rolar para cima