23 de Agosto de 2018 |

Os 3 maiores enganos sobre o EPS Isopor®

Os 3 maiores enganos sobre o EPS Isopor®

O poliestireno expandido, também conhecido como Isopor®, é famoso nas papelarias e também no segmento alimentício. Mas poucos conhecem de fato esse material, fazendo confusões sobre suas aplicações e características. Desmistifique alguns de seus conceitos sobre o EPS Isopor®!

1. O EPS Isopor® não é sustentável

Uma pesquisa feita pela Meiwa, empresa paulistana de embalagens, apontou que apenas 7% dos brasileiros sabem que o poliestireno expandido é sustentável. Você também não sabia? Pois é... o EPS Isopor® é 100% reciclável, 98% composto de ar e atóxico.

No Brasil, 34,5 mil toneladas do material são recicladas anualmente, número que se iguala aos dos principais países da Europa. Esse EPS reciclado é reutilizado em diversos segmentos, como para a produção de energia elétrica térmica, a fabricação de novos objetos de plástico e também para fabricação de colas, solventes e, inclusive, sola de calçados.

Você pode descartar o seu produto em qualquer lixeira destinada aos plásticos, ou ainda na coleta seletiva da sua cidade. A Knauf, por exemplo, disponibiliza a coleta seletiva em todas as fábricas. Confira os endereços das unidades clicando nesse link!

2. O principal uso do EPS é em caixas térmicas

Outro engano! Apenas no Brasil, a produção de EPS Isopor® chega a 100.000 toneladas por ano, e o segmento que mais consome o material é o de construção civil. O produto é utilizado em lajes, forros, elementos estruturais, isolamento térmico e acústico, entre outras aplicações. Só em seguida vem o segmento de caixas térmicas e o de embalagens, com a proteção de eletrodomésticos e medicamentos.

3. XPS x EPS

Confundir esses materiais é, com certeza, um dos maiores erros que a maioria dos brasileiros comete! Sabe as bandejas descartáveis que encontra no mercado, a marmitex do seu pedido de delivery, ou o copo térmico descartável em que vem a sua bebida quente? Acredite, eles não são de EPS, e sim de XPS!

O poliestireno extrudido passa por um processo de produção diferente, o que resulta em um material mais fino e mole, com menor resistência mecânica, durabilidade e compatibilidade com outros materiais que o poliestireno expandido.

Na visão do consumidor, ambos podem até ser muito parecidos, mas as diferenças são visíveis! Enquanto o EPS Isopor® possui uma densidade maior, apresentando as típicas bolinhas em sua superfície, o XPS se assemelha mais à uma espuma.

A Knauf, dona da marca Isopor®, por exemplo, trabalha apenas com o EPS, processando o material para diferentes segmentos. Conheça todas as aplicações do EPS Isopor® e saiba mais sobre as vantagens desse produto!



Leia Também